Depoimento - Amanda Neves

22/09/2017 Valter Ventura Depoimentos
0

Por: Amanda Neves - Procuradora do Estado (PGE-MA)

Em primeiro lugar, um aviso. Não escrevi esse depoimento com a finalidade de oferecer técnicas e métodos de estudos, contar a minha rotina de concurseira etc. Acredito sinceramente que cada pessoa tem seu jeito de estudar, que não existe um jeito certo, mas o melhor jeito pra cada um. E antes que perguntem, cada um descobre o seu jeitinho pessoal, tá bem?


Superado esse primeiro ponto de “como estudar”, posso dizer que minha sugestão nessa fase da vida se resume a um ponto: equilíbrio. Só quando entendi a necessidade de equilibrar (ou tentar, ao menos) todos os setores da vida, as coisas começaram a fluir melhor.

 

Ou seja, não adianta estudar "x" horas por dia, bater as metas diárias, fazer "y" questões, se as outras áreas da existência estão lá, abandonadas. No meu caso, precisei fortalecer a minha espiritualidade, cuidar da alimentação, tentar praticar alguma atividade física, ter mais tempo para minha família, para meu namorado, para cuidar de mim mesma, física e espiritualmente.


Nisso tudo, foi muito importante a atenção à saúde, especialmente à saúde mental. A etapa de preparação, para mim, foi cheia de inseguranças e ansiedade. Tive vários momentos de crise e algumas coisas me ajudaram a lidar com os problemas de forma mais saudável: terapia, meditação e escrita terapêutica.

 

Se posso sugerir alguma coisa aos colegas, é isso.


Existem terapias individuais e em grupo. Se o orçamento está apertado, talvez você encontre atendimento em programas de formação de universidades, faculdades ou nos centros de atenção do local em que mora. Conversar com pessoas de confiança, que compreendam sua situação, também pode ajudar bastante. O conselho é conhecer e compreender a si mesmo, com gentileza e empatia.


Sobre a meditação, você pode fazer em grupo ou sozinho. Há também várias técnicas. Eu, particularmente, adotei a técnica da atenção plena (mindfulness, em inglês). Comecei com um ótimo livro, Atenção plena – Mindfulness: Como encontrar a paz em um mundo frenético, de Danny Penman e Mark Williams. Também uso um aplicativo que traz meditações guiadas, cânticos e sons de ambientes, chamado Sattva. Me ajudou bastante.

 

Também indico outro aplicativo, Querida Ansiedade, desenvolvido por psicólogos, com exercícios para acalmar e acalentar o coração.


Sugiro, igualmente, um caderninho da gratidão. Eu tenho um e não posso contar as vezes que me ajudou a ver a vida de um modo mais feliz e agradável. Funciona de maneira simples: você escreve todos os dias (sugestão, claro) pelo que é grato: por ter uma casa, pela sua saúde, por ter um banheiro, pela refeição do dia… Ao final, a sensação é uma só: somos privilegiados. Estudar não é um suplício, não é uma via crucis rumo ao cargo público. Estudar é uma oportunidade e um privilégio de poucos, e você faz parte desse grupo. Seja grato!


Permita-se sentir. Em alguns dias, você vai se sentir triste ou desanimado. E tudo bem. Sinta isso. Depois, conduza sua mente e suas forças de volta aos estudos, com carinho e gentileza, sem vitimização ou ataques.


Tenha humildade. Esteja sempre disposto a aprender e a ensinar. Respeite a personalidade e o tempo de cada um.


Ainda, veja e compartilhe notícias boas. As páginas "Só notícia boa", "Razões para acreditar" e "Fala uma coisa boa" sempre me emocionam e tornam o dia mais leve, mais grato e com mais fé. E, falando nela, sugiro também que você cultive sua espiritualidade, não importa a religião.


Por fim, faça o bem, para si mesmo e para os outros. Compartilhe novidades, dicas e técnicas. Não fique comparando você mesmo, sua rotina e sua história com os outros. Acredite em si. Tenha certeza de que o dia de ver o seu nome no diário oficial (e chorar muito de alegria) vai chegar.

 

É questão de persistência.


Desejo a todos muito sucesso!


Abraços,
Amanda.



Deixe seu comentário